fbpx
17 de novembro de 2022

BRINCAR LIVRE

O brincar é a essência da criança, é a força motriz que guia suas ações e desperta sua curiosidade. Por meio do brincar a criança usa a imaginação, exerce a criatividade, experimenta regras e limites, aprende sobre respeito, empatia e diversidade; desenvolve a coordenação motora, aprende sobre seus limites e capacidades corporais; conhece sons, cores, texturas; interagem, investigam e conhecem o mundo que as cercam.  

Desde 1959, as Organizações das Nações Unidas, via Declaração Universal dos Direitos da Criança, garante e defende o brincar como direito fundamental das crianças e essencial para seu desenvolvimento. 

O brincar livre caracteriza-se pela brincadeira espontânea, sem direcionamentos, iniciada pela criança e guiada por seus interesses, escolhas, criatividade e imaginação. Ele não depende da oferta de lugares especiais ou do oferecimento de objetos chamados de “brinquedos” para as crianças. No entanto, quanto melhor for a qualidade das oportunidades para brincar, mais prazerosas e enriquecedoras serão as experiências, tanto para as crianças quanto para os adultos.

Quer saber como proporcionar condições adequadas para o brincar livre? Confira estas dicas:

– A criança precisa de tempo para brincar! Crie oportunidades de tempo livre para que a criança de fato tenha tempo de criar, imaginar e executar suas ideias e pensamentos. 

– O brincar livre na natureza proporciona às crianças um ambiente rico em possibilidades e desafios que fomentam o desenvolvimento infantil em diversos aspectos físicos, cognitivos e emocionais. 

– Ofereça objetos que não possuam função definida, os chamados materiais não estruturados. Isto dará a criança a oportunidade de usar a imaginação e criar brincadeiras. Tampas de panela, colheres, rolo de papel, tecido, tubos, embalagens, pedaços de madeira, terra, areia, etc. são alguns dos possíveis objetos a serem ofertados para as crianças.

– Evite oferecer muitos objetos ao mesmo tempo. Selecione alguns itens para disponibilizar para crianças para que a brincadeira não se torne fugaz. 

Aos adultos, cabe a tarefa de pensar na qualidade das experiências proporcionadas, o espaço, a quantidade e as características dos materiais ofertados; mas principalmente, a maneira como o adulto interage e participa do brincar, podendo atuar como observador, mediador ou até mesmo fomentador da brincadeira a convite das crianças.

Aqui na Tiny People valorizamos o brincar livre como ferramenta pedagógica associada ao conceito do ambiente como terceiro educador, proporcionando experiências em espaços cuidadosamente planejados, respeitando a criança como protagonista de seu processo de aprendizagem. 


ÚLTIMOS POSTS

21 de março de 2024